SEC interrompe ICO fraudulenta que tinha planos de criar um “banco descentralizado”

Comissão de Valores Mobiliários (SEC), cancela ICO nos EUA!

A Comissão de Valores Mobiliários (SEC) dos Estados Unidos anunciou em 30 de janeiro, um pedido formal para interromper a Oferta Inicial de Moeda (ICO) da Startup AriseBank, porque apresenta características de um esquema fraudulento, e além disso, seria uma oferta de Valores não registrada.

A denúncia foi recentemente introduzida no tribunal do distrito federal da cidade de Dallas, Texas. A empresa usou uma estratégia de marketing através de redes sociais e o patrocínio de celebridades, o que lhes permitiu levantar 600 milhões de dólares em apenas dois meses para financiar o seu projeto do “banco descentralizado” através da ICO que emitiria a criptomoeda AriseCoin. O objetivo era arrecadar um bilhão de dólares!

A SEC alega que a AriseBank declarou falsamente que comprou um banco garantido pelo Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC), o que lhes permitiria oferecer aos clientes contas bancárias garantidas. Além disso, eles alegaram ser capazes de emitir cartões VISA para serem usados ​​com mais de 700 criptomoedas diferentes, quando, aparentemente, isso era mais uma promessa duvidosa.

Outro problema que levou ao processo é que uma informação foi ocultada, do qual um dos principais executivos da empresa possui antecedentes criminais.

O tribunal ordenou o congelamento de ativos de emergência sobre a startup, inclusive os seus ativos digitais, como criptomoedas. A intenção é proteger os ativos para que eles possam ser devolvidos aos investidores. As criptomoedas Bitcoin, Litecoin, Bitshares, Dogecoin e BitUSD foram encontradas na posse do AriseBank.

Se essa ICO fosse finalizada e a AriseBank, de fato, entrasse em operação, esse projeto de criar um banco descentralizado que não só apóia as criptomoedas – como também iria emitir um cartão que poderia ser carregado com criptomoedas -, certamente iria ser um oásis para esse mercado promissor.

Os bancos não gostam das criptomoedas, tanto que, muitos usuários estão tendo suas contas correntes canceladas sem uma justificativa plausível. Foi o que ocorreu recentemente com a CoinBR. A empresa emitiu um comunicado via e-mail alertando seus usuários que teve a sua conta corrente do Banco Bradesco cancelada. O banco alegou que não tinha mais interesse comercial em manter a conta aberta. Fala sério!

No caso da AriseBank, esse tipo de coisa poderia acabar,caso a ICO fosse finalizada e o startup entrasse em operação.

Vale lembrar que, recentemente, outra ICO desapareceu após arrecadar US$ 374 mil (R$ 1,2 milhão) de investidores. A empresa “Confido” prometia oferecer “um aplicativo baseado em blockchain para realizar pagamentos e rastrear encomendas”, no entanto, a mesma sumiu da internet, deixando centenas de investidores na mão.

Todo cuidado é pouco na hora de participar de uma ICO (oferta inicial de criptomoedas). Preparamos um pequeno guia e um guia definitivo sobre o que é e como participar de uma ICO (em breve) – para que você – não cair em armadilha. No caso da AriseBank, a SEC viu que tinha algo errado e interrompeu a ICO e os ativos digitais (criptomoedas) que os investidores investiram serão devolvidos. Já os investidores da “Confido”, ficaram na mão.

Com informações do site: www.studiobitcoin.com