Vacina obrigatória é o CARALHO!!!

Vacina obrigatória é o CARALHO!!!
Vacina obrigatória é o CARALHO!!!

Depois que projeto de ditador João Dória publicou no seu diário parasital do Estado de São Paulo que;

“Qualquer cadáver, independentemente da causa da morte ou da confirmação de exames laboratoriais deve ser considerado um portador potencial de infecção por Covid-19”.

Agora o governador vai lhe obrigar a tomar a vacina do Covid-19. É isso mesmo que você  ouviu. Você, cidadão, pagador de impostos, será obrigado a tomar a vacina para ficar protegido, mesmo contra a sua vontade, porque o titio Dória sabe o que é bom para sua saúde.

Olha pessoal, eu sou pró vacina! Eu acho que a vacina é, sim, uma excelente forma de combater os males que existem no mundo. A nossa história mostra isso. Lá nos anos de 1798, a varíola era a pior doença da humanidade, matando cerca de 400 mil pessoas por ano. Até que, por volta de 1.800, Edward Jenner conseguiu criar a vacina.

No entanto, muitas pessoas se negavam a se vacinar porque corria um boato de que – quem tomasse a vacina contra a varíola poderia contrair feições de vaca -, já que a vacina consistia no líquido de pústulas de vacas doentes.

A revolda da vacina
A revolda da vacina

Até que em 1904 houve a revolta das vacinas, quando Oswaldo Cruz motivou o governo a enviar ao Congresso um projeto para reinstaurar a obrigatoriedade da vacinação em todo o território nacional. Apenas os indivíduos que comprovassem ser vacinados conseguiriam contratos de trabalho, matrículas em escolas, certidões de casamento, autorização para viagens etc. O povo oprimido se revoltou e a quebradeira foi generalizada!

Voltando ao nosso período, ao longo da história, as vacinas mostraram que a vacinação é eficaz e capaz de erradicar doenças como sarampo, poliomielite, difteria e rubéola, cujas doenças foram erradicadas graças às vacinas. Apesar de algumas dessas doenças voltarem por conta do movimento antivacina. Mas isso é outra história.

No entanto, obrigar o indivíduo a tomar a vacina é um passo a mais para o autoritarismo absoluto. Obrigar as pessoas a fazerem o que elas não querem, o que elas  não concordam, isso é comportamento de ditador. 

O indivíduo, e apenas o indivíduo sabe o que é bom para si. Não é tirando uma lei do cú, camuflada de “decreto” que vai resolver os problemas. Até porque, nem todo mundo vai querer tomar vacina pelos mais variados motivos – cujos mesmos não precisam ser abordados neste vídeo.

Mas aí, vai aparecer aqueles admiradores do Estado que adoram chupar as bolas desses parasitas afirmando que ele está certo, que a vacina será benéfica prá todo mundo e blá, blá, blá. Mesmo assim, é a pessoa, é apenas o indivíduo que tem o poder de escolher se quer ou não tomar a vacina – e não obrigar os outros a tomar por força de um decreto abilolado de algum governador.

Recentemente, houve um projeto de lei de autoria do senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) que queria obrigar as pessoas que foram curadas pelas Covid-19 a doarem sangue em prol da saúde.

Esse projeto de lei tinha até um nome mais bonitinho no que diz respeito à obrigatoriedade. Esse indivíduo iria doar de forma compulsória o seu sangue para ajudar os outros a se curarem da pandemia. Ou seja, ao invés de usar o termo “obrigatório“, esse projeto de lei usou o termo “compulsório”. O nome é mais bonito, mas a intenção é a mesma: obrigar a pessoa a fazer aquilo que ela não concordou a fazer. 

Esse projeto de lei foi tão negativo que o senador criativo que criou esse projeto de lei, Veneziano Vital do Rêgo, retirou esse projeto abilolado da pauta de votação. Leia!

Agora vem o João Dória querer obrigar todo mundo – a população da cidade de São Paulo – a tomar a vacina do coronavírus.

Então, alguns vão dizer o  seguinte: Se não quiser não toma, hora bolas. Só que aí, esse projeto de ditador, juntamente com todos os governotários e prefeitardados de todos o Brasil terão a brilhante ideia de parir um decreto do cú – obrigando todos os comerciantes – a exigirem que os consumidores apresentem a carteirinha de vacinação antes de entrar no estabelecimento comercial e, àquele comerciantes que não exigirem esse documento, poderá perder o alvará de funcionamento, tornando a vida de todo mundo um inferno.

Eu sei, parece que eu estou viajando na maionese, mas não engane. A criatividade desses seres absolutos, também conhecidos como governadores, tem uma criatividade sem igual. Esses seres usam ciência do átila – prá caralho – para impor a sua vontade. Não duvide da criatividade dessa gente! A revolta das vacinas nos mostra que o autoritarismo nunca acaba bem!

Você sabia que a população da Coreia do Norte só pode escolher alguns modelos de cortes de cabelo? É isso mesmo que você ouviu! Os homens podem escolher um entre dez modelos de cortes e as mulheres apenas um entre dezoito modelos de cortes.

Detalhe: Os homens não podem realizar o mesmo corte do ditador kim jong un. Caso algum gado submisso – também conhecido pelo gênero masculino – realize o mesmo corte do ditador, ele será executado. Simples assim!

É claro que você não deve saber disso porque você acha chato ver documentários. Você prefere ver algo mais interessante como esses reality shows da TV aberta que são cheios de sabedoria e cultura!

É assim que uma ditadura começa: com um punhado de autoritarismo. Criando decretos aqui, decretos acolá e quando você perceber, já estará igual aos sul-coreanos. 

Então, quando João Dória vem com esse papinho de querer vacinar todo mundo obrigatoriamente para combater a covid-19, o que você não sabe é que essa – obrigatoriedade – tem um alto cunho eleitoreiro. 

Ele quer imunizar todo mundo para jogar na sua cara, meu caro eleitor que ele imunizou todos – a força – e merece seu voto para a presidência do Brasil nas eleições de 2022.

Contudo, se ele, hoje, é governador do Estado de São Paulo, é porque foi eleito democraticamente pelo povo. Então, ele não está fazendo mais que a sua obrigação: de governar a cidade! Contudo, nenhuma autoridade do governo sabe o que é bom para você, a não ser você mesmo. 

Agora o que esperar de um governador – que na época era prefeito – que jogou fora as flores de uma eleitora e ainda por cima colocou a culpa no Lula e na Dilma afirmando que as flores são demoníacas.

Isso sem contar um imposto exclusivo para a Netflix e o Spotify com uma alíquota de 2,9% e ainda sugeriu que as empresas são ricas e não deveriam repassar esse custo aos assinantes. Dória ainda publicou um vídeo no seu canal no YouTube justificando essa atitude, mas o vídeo pegou tão mal que ele mesmo retirou o vídeo do ar.

Esse é o ilustre governador de São Paulo que quer obrigar você a tomar a vacina! Como se ele soubesse o que é bom para você. 

Como desgraça pouca é bobagem, o presidente Bolsonaro jogou um balde de água fria no autoritarismo do Dória, dando aquela deliciosa alfinetada e afirmando que a vacinação no Brasil não será obrigatória. 

Neste ponto, eu concordo com o presidente. Apesar de continuarmos achando que ele é um parasita, no fundo, no fundo, Bolsonaro tem algum viés libertário.

E como desgraça pouca é bobagem ao cubo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que não tem o poder de obrigar a vacinação a nenhum país. Mas insistiu sobre os benefícios da imunização. Ou seja, para a OMS, é apenas o indivíduo que tem o poder de escolher se quer ou não tomar a vacina. 

Ao meu ver, parece que teremos uma nova revolta das vacinas com viés político, assim como ocorreu em 1904. Esperamos que não!

Não aceite esse autoritarismo! Vá se vacinar por sua livre e espontânea vontade. Se assim você quiser. 

Vacina obrigatória é o caralho!