Stablecoins: o que são? Pra que servem? O lado bom e ruim dessas criptomoedas!

O que são Stablecoins?
O que são Stablecoins?

Quando vimos a criptomoeda Tether cotada no CoinmarKetcap achávamos que se tratava de mais uma altcoin como muitas outras. Porém, notamos que o preço dela sempre fica pareado ao dólar, mesmo no mercado em baixa. Foi aí que, estudando um pouco mais o mercado, descobrimos que o Tether (USDT) é uma Stablecoin.

O que é uma Stablecoin?

Uma criptomoeda denominada de “Stablecoin”, nada mais é que um criptoativo pareado ao mesmo valor de uma moeda fiat. No caso do Tether (USDT), o valor dessa criptomoeda é pareada ao valor do dólar (um para um). Sendo assim, aconteça o que acontecer, essa Stablecoin sempre irá valer um dólar.

Como funcionam as Stablecoins?

Geralmente, as Stablecoins são lastreadas com um ativo subjacente. Ou seja, um produto que já existe no mercado, como o ouro, metais preciosos ou alguma moeda Fiat, como o Dólar (USD) ou Euro (EUR), por exemplo.  Com tudo, se uma stablecoin tiver muita volatilidade, como acontece com as criptomoedas em geral, ela poderá perder o título de uma Stablecoin.

A volatilidade de uma Stablecon não pode ficar nem muito abaixa nem muito alta. Ou seja, não pode ficar abaixo de 0,98 e subir acima de 1,02.

Para que uma criptomoeda seja, de fato, uma Stableoin, ela tem que ter a mesma quantidade guardada de moeda Fiat ou um ativo subjacente. No caso do Tether, essa criptomoeda é pareada ao dólar (1:1).

Ou seja: se tiver 1.706.421.736 Tether (USDT) em circulação, então, os desenvolvedores dessa Stablecoin têm que ter custodiado (guardado) a mesma quantidade em dólar, no caso, 1.706.421.736 USD para garantir que o Tether tenha a parilidade com o dólar.

Existem três tipos de Stablecoins:

1 – Fiat collateralized – Essa é a mais usada. Ou seja, essa Stablecoin é pareada com alguma outra moeda fiat, como o Dólar ou o Euro.

2 – Cryto Collateralized – é garantido por outra criptomoeda.

3 – Non Collateralized – não há nenhum ativo que garanta a paridade (1:1) com a Stablecoin.

Para maiores informações técnicas, veja o vídeo do YouTuber, Anderson Cesar, do canal Crypto Insights Brasil.

As Stablecoin mais conhecidas são:

Tether (USDT) criada em 2015, é a criptomoeda mais popular do mercado de criptoativos, sendo operada em praticamente todas as principais exchager do planeta.

TrueUSD (TUSD) – Com tantas polemicas em torno do Tether nas últimas semanas,  uma nova Stabecoin foi criada, a TrueUSD (TUSD), que é auditada por terceiros e sua auditoria é freqüentemente publicada em seu Twitter. Isso sem contar que, Rafael Cosman (ex-Google), Dabby An (PWC) e Stephen Kade (Universidade de Blackle) estão por trás da criação dessa Stablecoin, dando ainda mais transparência a criptomoeda.

Gemini Dollar (GUSD) – Essa criptomoeda é criação dos irmãos Cameron e Tyler Winklevoss. O token que também é lastreado ao dólar, foi lançado agora, em setembro desse ano e já tem a autorização do Departamento de Serviços Financeiros de Nova York para operar.

Outro detalhe, não menos importantes: para quem não se lembra, os irmãos Winklevoss tiveram seus ETFs negados pela SEC e são donos da exchanger Onimi, a qual tem um token do mesmo nome, o – Omni (OMNI) – que até o fechamento deste post estava custando US$4,68.

Então, não confundam a criptomoeda Omni (OMNI) que estava valendo US$4,68 com a Stablecoin Gemini Dollar (GUSD) que está valendo US$1,00 dólar e não pode ficar acima disso.

USD coin (USDC) Essa Stablecon também é pareada com o dólar e está presente em algumas exchangers, entre elas: Poloniex, Kucoin, Crex24, OKex entre outras.

Digix Gold Token (DGX) – Essa Stablecoin é custodia em ouro. Ou seja, cada token dessa moeda é equivalente a um grama de ouro, cujo mesmo foi auditado e está custodiado em Cingapura.

O polemico Tether e o Pump do bitcoin!

Como dissemos antes, para que uma criptomoeda seja, de fato, uma Stablecoin, ela tem que ter a mesma quantidade guardada pareada com algum outro ativo subjacente, como o dólar (moeda Fiat) ou metais preciosos como ouro ou cobre, por exemplo.

Leia: Entendendo o mercado cripto: O que é Pump e Dump e como você pode se beneficiar

O problema é que os desenvolvedores do Tether (USDT) ainda não provaram por meio de uma auditoria que eles, de fato, têm a mesma quantidade de dólar pareada ao Tether. Ou seja, eles teriam que provar que tem 1.706.421.736 dólares, equivalente a mesma quantidade Tether em circulação o mercado. Até parece aquelas teoria da conspiração com o Fort Knox, onde fica guardado a maior reserva de ouro dos Estados unidos.

O polemico Tether (USDT)
O polemico Tether (USDT)

Como se não bastasse, a plataforma foi acusada de lavagem de dinheiro e estava sendo investigada pela Europol e pela policia polonesa. Como desgraça pouca é bobagem ao cubo, um dos fundadores da exchanger foi acusado de ser o criador da criptomoeda.

Isso sem contar que a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC) também esta(va) investigando para saber mais sobre essa suposta ligação entre a exchanger e o Tether.

Como se já não bastasse todos esses problemas entre o Tether (USDT) e a Bitfinex, surgiu um boato que a plataforma estaria falindo. Mesmo a exchanger desmentindo o boato de falência mostrando suas carteiras offline contendo US$ 1,5 bilhão em Bitcoin, Ethereum e EOS, não foi o suficiente para amenizar os ânimos dos investidores.

Como se não bastasse TUDO ISSO, a bolsa escolheu o PIOR MOMENTO POSSÍVEL para congelar depósitos de moedas fiat para atualizar o seu sistema e torná-lo mais eficiente. O resultado DISSOPanic Sell generalizado!

Com todas essas polemicas envolvendo a primeira Stablecoin no mercado cripto e o anuncio de que a Bitfinex iria congelar os depósitos em moedas Fiat, não deu outra, os investidores despejaram um volume gigantesco de Tether no mercado, fazendo o preço do Tether entrar em colapso enquanto o bitcoin se valoriza em um ritmo frenético.

Os analistas afirmaram que, além dos investidores trocarem Tether (USDT) por Bitcoin (BTC), ainda transferiram a criptomoeda para outras exchanger e recompraram (trocaram) por outra Stablecoin, no caso, Gemini Dollar (GUSD), fazendo o preço dessa Stablecoin disparar, chegando a valer US$1,16 – e ao mesmo tempo – o valor do Tether (USDT) caiu para US$0,90 cents.

Enfim, é uma novela que promete novos capítulos emocionantes! O Tether (USDT) que deveria valer um dólar caiu para US$0,90 cents, enquanto a Gemini Dollar (GUSD) que também deveria valer um dólar, chegou a US$1,16. Sem dúvida, esse mercado é muito louco e surreal!

Com todas essas polemicas envolvendo a primeira Stablecoin no mercado de criptomoeda era de se esperar que novas Stablecois surgisse no mercado, e foi exatamente isso que aconteceu.

A TrueUSD, por exemplo, comprovou sua auditoria e já ocupa a 44ª colocação no CoinmarKetcap, a USD coin aparece na 50ª posição e a Gemini Dollar (GUSD), apesar de aparecer na posição 219 do rank do Coinmarketcap, o seu volume diário só vem aumentando, ficando sempre acima de 3 milhões de dólares movimentados por dia.

Apesar do Tether ainda está no top 10, o seu reinado pode chegar ao fim, visto que, até agora não foi comprovada a existência da mesma quantidade dólar em criptomoedas emitidas.