Exchanger não é carteira!

Exchanger não é carteira! Exchanger não é carteira! Exchanger não é carteira!
Exchanger não é carteira! Exchanger não é carteira! Exchanger não é carteira!

Na semana passado o CEO da Binance, Changpeng Zha, causou polemica na comunidade cripto ao afirmar que as criptomoedas estão bem mais seguras nas exchangers do que nas carteiras físicas.

No Twitter, ele deu à seguinte alfinetada: “Você armazena, se protege contra hackers e perda da carteira. Computador quebra, USB se perde. Armazene em uma exchange. Use apenas as mais confiáveis ​​e comprovadas. Ou até mesmo nos deixe e vá para a DEX”, disse o diretor-executivo na última terça-feira (15). Veja!

Ele foi bastante enfático no seu Twitter após a excanger Cryptopia ser hackeada com perdas bastante significativas (US$ 2,5 milhões, cerca de R$ 9,25 milhões em Ether).

No mesmo dia, Jesse Powell, CEO da Kraken, rebateu o twitter de Changpeng Zha e alertou aos seus investidores que eles não podem deixar seus criptoativos armazenados nem na Kraken.

“POR FAVOR, não armazene em exchanges (incluindo a kraken) mais do que você precisa para manter suas negociações. Use Ledger ou Trezor (carteiras físicas semelhantes a um pen drive). DEXes não são uma solução”, publicou o CEO.

A briga entre duas grandes exchangers; uma, defendendo o armazenamento dos seus ativos na própria exchanger e a outra alertando para não deixar além do necessário para realizar suas operações – deixou a comunidade cripto em dúvida.

E agora? Exchanger é ou não carteira?

Nossa resposta:

Não, exchanger não é carteira!

Por quê?

Simples: os acontecimentos passados mostram que, de fato, deixar todos os seus ativos digitais nas exchanger é muito perigoso. Confira alguns fatos em desordem cronológica provando por A + B que não se deve deixar todas as suas criptomoedas nas exchanger:

1 – Em fevereiro de 2011, a exchanger MT.Gox (primeira exchanger) foi hackeada, fazendo o preço do ativo digital sair dos US$1.200,00 para US$254,00 e deixando milhões de investidores FALIDOS!

Leia: Bitcoin completa 10 anos! Passado, presente e o futuro?!?!

2 – Em junho de 2018, a Bithumb, sexta maior exchanger do mundo foi hackeada. A corretora perdeu equivalente a 30 milhões de dólares em criptomoedas. Leia!

3 – Em outubro do ano passado, a corretora japonesa Coincheck, também foi hackeada e teve uma perda de US$5,25 milhões roubados, prejudicando mais de 1,7 milhões de investidores. Leia!

4 – Zaif, outra corretora Japonesa foi hackeada, tendo uma perda de 6,7 bilhões de ienes (cerca de  5.966 Bitcoins – US$ 60 milhões). Leia!

5 – Em dezembro de 2017, a versão Sul-Coreana da Youbit foi hackeada. A empresa declarou falência após 17% dos ativos foram transferidos. Leia!

6 – E para nossa, não tão surpresa assim, a corretora Cryptopia está fora do ar dês do dia 14 de janeiro (deste ano, é claro), após ser “hackeada“. Segundo a matéria do portal livecoins, 19.391 Ethereum (ETH) foram transferido de forma indevida. Leia!

Dês do dia 14 de janeiro a exchanger Cryptopia suspendeu suas atividades após ser hackeada!
Dês do dia 14 de janeiro a exchanger Cryptopia suspendeu suas atividades após ser hackeada!

A Cryptopia é conhecida por dá suporte a moedas fuleras, também conhecidas como shitcoins ou moedas de merda. A exchanger tem um catalogo incrível de moedas fuleras que foram criadas apenas para enriquecer seus desenvolvedores e poluir o mercado de criptoativos.

Enfim, essa foi só a ponta do iceberg! Fora as corretoras meia boca que literalmente desapareceram após um suposto “ataque hacker”, como a Coingather, por exemplo. Leia mais a respeito!

Não estamos afirmando que esses supostos ataques cibernéticos sejam corriqueiros, mas a história nos mostra que devemos ser mais espertos que esses trambiqueiros, que dizem ser CEO de tal exchanger, cuja mesma é hackeada e dá um fodá-se geral nos seus investidores. Cada um fica com seu preju!?? Não mesmo! 

Proteja suas criptomoedas

Quase todas as criptomoedas têm suas respectivas carteiras, sejam desktop, IOs, Android ou aquelas que suportam múltiplas criptomoedas, como a Exodus, Jaxx e Coinomi.

Isso sem contar as hardwares wallets, como a Trezor e a Ledger Nano S que suportam uma infinidades de criptomoedas, com total segurança e comodidade para o usuário/investidor.

Em novembro do ano passado publicamos um post sobre a corretora brasileira CoinX, que travou os saques de todos os investidores sob a justificativa que, ao tentar adicionar uma nova moeda, houve um erro na plataforma e os saques foram bloqueados.

O mais inacreditável disso tudo é que apenas os saques estavam bloqueados, mas os depósitos funcionavam normalmente, inclusive, a opção de cadastrar novos usuários. Enfim, o ano acabou e alguns dos usuários como:

  • Diego Soares (que tem equivalente a 32 mil em ativos na plataforma) ou,
  • Átila Barbosa (que tem equivalente a 42 mil em ativos na plataforma) ou ainda,
  • Anderson Valle (que tem equivalente a 150 mil em ativos na plataforma).

Segue com o mesmo problema. Até o fechamento deste post e, segundo relatos do portal “Reclame Aqui”, nada foi resolvido. Leia!

Sabe qual o problema desses usuários/investidores? Eles confiaram demais na corretora e agora estão passando por um perrengue que ninguém merece.

O mesmo perrengue devem está passando esses investidores que deixaram seus ativos na Cryptopia. Devem está com o coração na mão, torcendo e implorando para que a plataforma volte logo, se é que vão voltar.  

Boa sorte a todos!