Por que a aprovação dos ETFs para o bitcoin é algo positivo para o mercado de criptomoedas e porque ainda não foi aprovado?

ETF sobre o Bitcoin: será que agora vai???
ETF sobre o Bitcoin: será que agora vai???

Esse post é meio complicado e não é. Há principio, alguns leigos não entenderam muito bem, mas, de acordo com a nossa política do site, iremos redigir essa matéria da melhor maneira possível para que todos entendam de uma vez o que está acontecendo com o mercado de criptoativos digitais.

Antes de explicarmos o que são ETFs, você deve entender uma coisa: o governo quer por que quer regulamentar o bitcoin (BTC). Aí eu vos pergunto: como um governo quer regulamentar uma criptomoeda que NÃO PODE SER REGULAMENTADA?

Resposta: não fazemos idéia!

Por quê?

Simples! O bitcoin é uma moeda descentralizada! Ou seja, a criptomoeda não possui um dono, uma entidade – seja ela, empresarial ou governamental que a controle. Ao contrário das moedas em espécie, como; Real, Dólar e o Euro, por exemplo, que possuem uma entidade central, que são os “Bancos Centrais”, que são controlados pelos seus respectivos governos.

Ata, mas o Japão regulamentou o bitcoin!

Não mesmo!!!

Se acabamos de afirmar que o bitcoin não pode ser regulamentado por ser uma criptomoeda descentralizada, como é que o Japão conseguiu esse feito?

Simples!

O Japão criou uma leia reconhecendo, não só o bitcoin, mas outras criptomoedas como um meio de pagamento legal. Essa regulamentação japonesa visou criar regras reforçando a transparência e solidez financeira aos operadores do mercado local.

Algo que já acontece aqui, mas não tem esse, digamos assim, regulamento nesse sentido. Exemplo: ao abrir uma conta em uma exchanger brasileira, o usuário terá que;

  • Enviar uma self sua,
    Enviar uma foto sua segurando a sua identidade,
    A conta corrente do usuário deve ser a mesma do cadastro,
    O usuário deve enviar uma foto sua segurando o cartão de débito do seu banco,
    O usuário deve enviar um comprovante de endereço em seu nome e esperar que sua conta seja verificada e posteriormente, aprovada.

Então o que o Japão fez, foi mais ou menos isso. Os japoneses regulamentaram e criaram regras para as exchangers e reconheceram as criptomoedas como meio de pagamento, tanto que os Japoneses já planejam criar sua própria criptomoeda.

É isso que os países que querem “regulamentar o bitcon” tem que fazer, seguir o exemplo do Japão!

Agora, esses países que querem regulamentar a moeda digital no intuito de arrecadar impostos – aí fica difícil que qualquer governo consiga tal feito.

ETF sobre o Bitcoin
ETF sobre o Bitcoin

E quanto aos ETFs sobre o bitcoin?

Apesar do mercado de criptomoedas ter um volume médio de 12.5 bilhões de negociações por dia, se comparada ao mercado de câmbio convencional, é como se comparecem uma formiguinha ao lado de um elefante.

Caso esses ETFs sobre o bitcoin (BTC) sejam aprovados, firma grande, gente com muita grana vão comprar muitas ações de ETFs sobre o bitcoin, fazendo o preço da moeda digital disparar.

Diversos gigantes do ramo financeiro afirmaram que a aprovação do ETF é crucial para o mercado e caso a SEC aprove, a JPMorgan ( o maior banco do mundo) já vai colocar as opções de investimentos de ETFs sobre o bitcoin para seus clientes, já no primeiro trimestre de 2019.

leia: O que são ETFs?

Vale lembrar que a própria JPMorgan foi envolvida em duas polemica ano passado, quando Jamie Dimon, declarou que quem investe em criptomoeda é um idiota. Mesmo após a ferrenha crítica do seu CEO, o banco comprou muitos bitcoins – assumindo ao pé da letra aquele velho ditado: faço o que eu digo, mas não faça o que eu faço!

A SEC buscou opiniões de profissionais da indústria sobre os ETFs em questão. Uma joint venture, formada pelas empresas financeiras: Chicago Board of Exchange (CBOE) – pela VanEck, sediada em Nova York, e pela plataforma blockchain SolidXfoi tentam essa aprovação, dessas – digamos assim – ações sobre o bitcoin.

Lembrando que essa é a terceira vez que o órgão estuda a possibilidade de aprovar os ETFs sobre a moeda digital. As primeiras duas tentativas foram rejeitadas em 2017, quando a SEC publicou que a base nos documentos apresentados afirmou que o bitcoin não possui uma regulamentação e blá, blá, blá. Se você quiser saber mais, acesse este link!

Nossa análise: Por que a SEC tem medo de aprovar os ETFs sobre o bitcoin?

O pessoal da SEC (Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos), de fato, estão estudando a possibilidade de aprovarem os ETFs sobre a moeda digital. Porém, segundo nossa análise, o órgão ainda não deve ter aprovado devido às especulações que o mercado terá – quando esse bendito for aprovado – como ocorreu no ano passado, quando a BATS Global Markets e o CME Group começaram a negociar contratos futuros de bitcoins, fazendo o preço da criptomoeda disparar, fazendo a moeda digital ser negociada a incríveis US$20 mil dólares, acionando o circuit breakers por duas vezes.

Fique sabendo: circuit breakers é um mecanismo de defesa que as bolsas usam para barrar/parar as negociações de determinadas ações, causada por uma grande discrepância em um curto espaço de tempo. Ou seja, quando um grande volume de ações são compradas ou vendidas em poucas horas, esse mecanismo de defesa é acionado para frear e acalmar o mercado.

… continuando…

Se os responsáveis  não aprovarem os ETFs sobre o bitcoin por causa dessas e de outras especulações, o órgão nunca vai aprovar esse, digamos assim, instrumento de defesa para que novos investidores tenham uma maior confiança no mercado de criptomoedas.

É tudo uma questão de, digamos assim, soltarem os cachorros e ver até onde eles podem correr. Assim que eles (os cachorros) se cansarem, eles param e o mercado se acalma novamente. É assim que tem que ser, não tem outro jeito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *