Por que investir na Lunes?

Lunes - a criptomoeda brasileira
Lunes – a criptomoeda brasileira

Conhecido como o maior projeto de blockchain da América latina, a plataforma Lunes, veio de uma ICO bem sucedida que ocorreu entre fevereiro e março de 2018.

Ao todos foram ofertados 600 milhões de moedas, dos quais, 75% foram disponibilizadas para a venda durante o período da ICO. As moedas que não forem vendidas serão (foram) queimadas.

O que chamou muita atenção dos usuários e acabou apelidando a Lunes de ser “o maior projeto ambicioso da blockchain da América latina”, é que a Lunes, não é apenas mais uma moeda, é também uma plataforma que, além de ter o seu próprio token (à criptomoeda Lunes), também irá disponibilizar uma gama de produtos e serviços que serão oferecidos ao longo do seu roadmap (roteiro).

Leia: O que são tokens e plataformas de criptomoedas?

Se sabemos bem, a blockchain e a criptomoeda são duas coisas diferentes e que se auto-complementam dependendo do que é oferecido na plataforma.

A blochchain não se limita apenas efetuar transações financeiras porque a mesma também permite o registro de qualquer informação em formato digital. Sendo assim, o projeto Lunes, não será apenas uma criptomoeda, mas sim, uma plataforma que possibilitará diversos serviços que muito em breve serão executados.

A Lunes usa o consenso de proof of stake (prova de participação) que não requer a mineração da moeda. Isso é um ponto positivo, já que impossibilita que a cripto possa, num futuro próximo, sofrer um ataque de 51%.

Leia: Qual a diferença entre proof of work vs proof of stake?

O que é um ataque de 51% em uma criptomoeda?

Analisando o projeto Lunes

1 – A criptomoeda foi criada para o dia-dia. A promessa é que a plataforma possa processar mil transações por segundo. Ou seja, para transações rápidas, para que o usuário possa usar como se usassem o atual dinheiro em espécie.

Só pra você ter uma ideia do poder de transações que a Lunes pretende oferecer aos seus usuários, é algo bem superior a outras blochchains ativas no momento. Exemplo:

  • Bitcoin, 6 transações por segundo,
  • Ethereum, 15 transações por segundo,
  • Rede VISA, 45 mil transações por segundo.

Ou seja, é algo bem ambicioso! Sendo assim, só o tempo e a adoção no dia-dia é que vai mostrar se a plataforma, de fato, terá todo esse potencial nas suas transações.

2 – A plataforma também possibilita que você guarde, além da Lunes, outras criptomoedas como: Bitcoin, Litecoin, Ethereum (…) isso porque o projeto possibilita que a sua carteira seja uma multi wallet, facilitando o uso da terceira opção:

3 – Além de fornecer uma multi wallet, a plataforma também disponibiliza vários serviços que os usuários já podem utilizar, como: Pagar boletos, recarregar celular, enviar TED bancário – tanto com seus tokens Lunes – quanto com qualquer criptomoedas que você tenha na multi wallet da plataforma.

4 – A plataforma também vai lançar uma exchanger descentralizada, a Lunes Market, onde o usuário poderá comprar e vender suas criptomoedas sem a necessidade de tirar suas cripto de exchanger de terceiros, como a Binance, Poloniex, Bittrex, por exemplo.

5 – E por último e não menos importante, essa quinta opção pode ser considera por muitos, a mais ambiciosa da plataforma Lunes; cuja mesma dividimos em três partes; 5A, 5B e 5C:

5 A – Lunes Gateway (Gateway de Pagamentos): Além da maquininha de cartão de credito e débito tradicionais, o comerciante poderá aceitar a criptomoedas que a multi wallet suporta, inclusive, o próprio token lunes, e converter essas criptos em moeda Fiat em poucos segundos com taxas bem abaixo do mercado. Isso vai ser possível porque a própria Lunes vai disponibilizar suas maquininhas de cartão já com essas funções.

Todas as transações serão criptografadas e irreversíveis, dando total segurança tanto para o comerciante quanto para o cliente.     

5 B – Lunes Truth – possibilita que o usuário registre um documento por meio da blockchain sem a necessidade de todos os tramites de um cartório tradicional.

Smart Contract – o usuário poderá criar seus contratos inteligentes sem a intermediação de um corretor, juiz, advogado ou outra autoridade para atestar a legitimidade do contrato.

5 C – E por fim; o projeto ainda conta com a emissão de um cartão de débito pré-pago, no qual, o usuário poderá carregar o seu cartão com suas criptomoedas que estão na sua multi wallet e comprar em qualquer lugar do Brasil, além de poder sacar em dinheiro Fiat nos caixas eletrônicos da Rede 24h, quando essa função já estiver disponível.

Conclusão:

Enfim, é muita coisa que o projeto Lunes se propõe a fazer! Por um lado, todos esses serviços em um só lugar podem beneficiar o usuário final. Ou seja, em vês de ficar investindo em várias criptos que se propõe facilitar a vida do usuário, o mesmo pode investir em um único projeto. Isso é bom e, de certa forma, pode facilitar as opções de investimento do investidor.

Por outro lado: como o projeto Lunes se propõe a fazer diversos serviços, isso pode ser tão ambicioso a tal ponto que não vai chegar a lugar algum. Sendo assim, eles prometem mundos e fundos e não entregam nem o fundo! Ou seja, não entregam nem o mínimo do mínimo que se propuseram a fazer, fazendo o projeto inteirinho ruir como um castelo de cartas. Um sonho impossível de ser alcançado!

Pergunta:

Então, como se prevenir e ficar de olho para saber se, de fato, o projeto está sendo executado ou está andando mal das pernas?

A resposta é: Roadmap!

O roadmap, nada mais é que o roteiro de qualquer projeto de qualquer criptomoeda tem que mostrar aos seus investidores. Esse roadmap mostra passo a passo em que pé anda o projeto da cripto em questão. Esse documento é fundamental e imprescindível para mostrar tanto para quem já investiu e, principalmente, para aqueles que queiram investir no projeto e tenham em mente que o mesmo está sendo executado.

Sendo assim, se você for ao site oficial e acessar o link “roadmap”, você verá que o projeto está sendo executado. O roadmap da Lunes é bem extenso! O mesmo começa em janeiro de 2018 e acaba no final de 2019.

O que já foi feio até agora?

  • A multi wallet está no ar dês do período da ico,
  • As carteiras móbile (Android e IOs) foram entregues,
  • A carteira já oferece seis opções de criptomoedas, além da própria Lunes,
  • Recarga de celulares e pagamentos de boletos estão liberados,
  • A função P2P já está ativa,
  • A compra do Token Lunes com outras criptomoeda na própria wallet está ativa.

Ou seja, apesar do projeto ser ambicioso, o mesmo está sendo executado conforme o seu roteiro.

O que está atrasado?

Segundo o aviso no próprio blog da plataforma, devido alguns problemas técnicos e o inverno cripto ter se estendido por muito tempo houve um pequeno atraso no lançamento da sua exchange descentralizada, cuja mesma será entre agora, em abril. Acesse e saiba mais!

O que esperar do segundo semestre da plataforma Lunes?

De acordo com o roadmap, o projeto está sendo entregue no tempo hábil. Ou seja, a plataforma está entregando àquilo que se propõe a realizar. Isso é ótimo sinal de que o projeto é serio e aos pouco está conquistando novos investidores.

Assim que a sua exchanger descentralizada entrar em operação (em abril), mais da metade do seu roadmap terá se concretizado. Confira!

Para o segundo semestre (entre julho e dezembro) o projeto Lunes tem duas grandes ambições para serem executadas.

1 – As maquininha de cartões de credito e débito. Além de essas maquininhas aceitarem as bandeiras tradicionais do mercado o consumidor poderá optar em pagar com alguma criptomoeda que a plataforma já trabalha, como: Bitcoin, Litecoin, Ethereum e a sua criptomoeda Lunes.

2 – O seu próprio cartão de crédito pré-pago! Ou seja, o usuário/investidor poderá recarregar o seu cartão pré-pago com alguma criptomoeda que ele tenha na sua multi wallet.

Tem mais: se o usuário quiser, ele pode pagar qualquer bem de consumo com seu cartão, já que, ao recarregar o mesmo a conversão de criptomoeda para o saldo em reais (BRL) já será realizada automaticamente. Como se já não bastasse toda essa facilidade, se o usuário quiser sacar em espécie (dinheiro), ele pode realizar o saque em qualquer caixa eletrônico da Rede 24h pagando uma pequena taxa.

Conclusão: O roadmap está sendo executado conforme o andamento do projeto. Contudo, o que pode impactar ainda mais o mesmo e encerrar de vez esse roteiro é a exchanger descentralizada começar a operar, cuja mesma está programada para abril.

Sendo que, as maquininhas de cartões e a emissão do seu próprio cartão de débito pré-pago serão os catalisadores finais para dá aquele Up no projeto Lunes.

Como dissemos antes, o roteiro está sendo cumprido e tem tudo para chegar ao seu final. Sendo assim, só nos resta esperar e torcer para que projeto Lunes entregue tudo aquilo que foi proposto.

Analisando o MarketCap da Lunes

Essa foto mostra que a criptomoeda Lunes (LUNES) tem muito que crescer no mercado de criptoativos. A emissão de moedas já está estabelecida, tendo ao todo 150 milhões de unidades em circulação.

Até o fechamento deste post, cada unidade estava sendo vendida a 197 satoshi, um pouco mais de meio centavo de dólar, de acordo com os dados no CoinMarKetCap. Acesse e veja!

O valor de mercado da moeda é de 1 milhão e 185 mil dólares! Ou seja, é um valor irrisório e tem muito potencial de crescimento a médio e longo prazo, já que, quando a moeda entrou no mercado, a mesma não pegou àquela Bull Ran no final de 2017.

 Sendo assim, a próxima grande onda que vier a cripto terá ainda mais chance de crescer, dês de que a mesma continue entregando àquilo que foi proposto no seu roteiro (roadmap).

Agora eu pergunto: vale à pena investir na Lunes?

Fique por sua conta e risco!

Acesse o site oficial e saiba mais e acesse também os seguintes sites:

Boa sorte e bons negócios!